eFlog.net - Fotos e comentários ilimitados, música e plano de fundo. Inclua fotos, vídeos, gifs, flash... Crie o seu eFlog.net.

eFlog odealoucura





Visitas: 558032
Na Semana: 43702
Online: 2

Homens e Livros

Postada em: 13, Maio 2009 - 15:53:02



Homens e livros
Folha de São Paulo


Monteiro Lobato dizia que um país se faz com homens e livros. O Brasil tem homens e livros. O problema é o preço. A vida humana esta valendo muito pouco, já as cifras cobradas por livros exorbitam.

A noticia de que um mãe vendeu o seu filho para uma enfermeira por R$ 200,00 reais em suas prestações , mostra como anda baixa a cotação de vida humana neste país. Se esse é o valor que uma mãe atribui a seu próprio filho, o que dizer quando não existem vínculos de parentesco. De uma fútil briga de trânsito aos interesses da industria do tráfico, no Brasil , hoje, mata-se por nada.

A falta de instrução, impedindo a maioria dos brasileiros de conhecer o conceito de cidadania, está entre as causas das brutais taxas de violência registradas no país.

Os livros são, como é obvio, a principal fonte de instrução já inventada pelo homem.E, para aprender com os livros, são necessárias duas condições: saber lê-los e poder adquri-los . Pelo menos 23% dos brasileiros já encontraram um obstáculo intransponível na primeira condição. Um número incalculável, mas certamente bastante alto, esbarra na segunda.

Aqui, um exemplar de uma obra de certa de sem páginas sai por cerca de R$ 15,00, ou seja, 15% do salário mínimo. Nos EUA, uma obra com quase mil páginas custa US$ 7,95, menos da metade da brasileira e com 900 páginas a mais.

O principal fator para explicitar o alto preço das edições nacionais são as pequenas tiragens. Num país onde pouco se lê, de nada adianta fazer grandes tiragens . Perde-se , assim, a possibilidade de reduzir o custo do produto por meio dos ganhos de produção de escala.

Numa aparente contradição à famosa lei da oferta e da procura, livro no Brasil é caro porque o brasileiro não lê. Vencer esse suposto paradoxo, alfabetizando a população e incentivando-a a ler cada vez mais, poderia resultar num salutar processo de queda do preço do livro e valorização da vida.

Um país se faz com homens e livros. Mas é preciso que os homens valham mais, muito mais, do que os livros.



Image